Este conteúdo que está a tentar aceder é exclusivo
para profissionais de saúde


Você é um profissional de saúde?
Está a sair do conteúdo exclusivo para profissionais de saúde.
Este conteúdo que está a tentar aceder é exclusivo para profissionais de saúde.
Está a ser redirecionado.
Oncologia/CancroOncologia/Cancro

Oncologia/Cancro

É possível melhorar a qualidade de vida dos indivíduos com cancro

Nas últimas décadas, os avanços terapêuticos evoluiram consideravelmente, mudando o foco no cancro propriamente dito passando ao tratamento do doente como um todo. Este novo foco holístico engloba todos os fatores que podem melhorar a qualidade de vida1,2. Tendo em conta esta mudança de paradigma, uma nutrição adequada é fundamental, já que uma alimentação saudável (equilibrada, variada e suficiente) ajuda a que se sinta mais forte, facilita uma melhor tolerância e eficácia dos tratamentos e melhora o funcionamento geral do corpo.

O termo “cancro” designa muitas doenças, já que existem mais de 100 tipos. No entanto, todas elas possuem um aspeto em comum: a sua causa, o facto de que as células anormais dividem-se incontrolavelmente e adquirem a capacidade de invadir outros tecidos3. A maioria dos tipos de cancro são designados pelos nomes do órgão ou do tipo de célula onde se originam (p.ex.: o cancro da mama ou o melanoma, um cancro da pele que afeta as células denominadas melanócitos)3.

O cancro é uma preocupação de saúde à escala mundial, com aproximadamente 14,1 milhões de casos novos em 2012. As estimativas da prevalência para 2012 mostram que 32,6 milhões de indivíduos (com idades superiores a 15 anos) foram diagnosticados com cancro nos cinco anos anteriores4. Estima-se que em 2020 serão diagnosticados 246.713 novos casos de cancro5.

Graças aos avanços terapêuticos das últimas décadas, como a deteção precoce e a melhoria dos tratamentos, hoje em dia milhões de indivíduos com cancro podem sobreviver à doença1. Ultimamente, o tratamento do cancro tem evoluído desde um tratamento centrado na doença até um foco mais holístico, centrando-se no paciente como um todo e não somente no cancro. Este novo foco inclui hábitos saudáveis como praticar exercício, dormir o suficiente, não fumar, controlar o stress e seguir uma alimentação nutritiva2. Neste sentido, um bom estado nutricional pode ser útil na hora de tolerar tratamentos para o cancro.

A Nestlé Health Science, considerando os benefícios que pode trazer uma boa nutrição, desenvolveu e incluiu nas suas soluções nutricionais formulações específicas para o doente oncológico.

http://www.cancer.org/acs/groups/cid/documents/webcontent/002048-pdf.pdf. Consultado em dezembro de 2014.
http://www.cancer.org/treatment/treatmentsandsideeffects/complementaryandalternativemedicine/mindbodyandspirit/holistic-medicine. Consultado em dezembro de 2014.

1.     http://www.cancer.gov/cancertopics/cancerlibrary/what-is-cancer. Consultado em dezembro de 2014.

2.     http://www.iarc.fr/en/media-centre/pr/2013/pdfs/pr223_E.pdf. Consultado em dezembro de 2014.

3.     http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/supportivecare/nutrition/HealthProfessional/page4. Consultado em dezembro de 2014.

4.     La cifras del cáncer en España 2016. Sociedad Española de Oncología médica.

5.     http://www.seom.org/es/informacion-sobre-el-cancer

6.     http://www.seor.es/categoria/pacientes


Recuperar o apetite



O apetite pode ser aumentado com a prática de exercício físico com regularidade e comendo num ambiente tranquilo e confortável. Puede resultar preferible comer poca cantidad de alimentos con alto contenido en proteínas y calorías de forma frecuente (por ej cada dos horas) en lugar de realizar las tres comidas tradicionales más copiosas. Pueden prepararse pequeñas cantidades de comida con antelación para tenerlas siempre a manoÉ preferível comer pequenas quantidade de alimentos com alto conteúdo em proteínas e energia a cada hora ou a cada duas horas, em vez das três grandes refeições tradicionais. Pode preparar-se quantidades de comida com antecedência e armazenar para que estas estejam prontas a comer quanto o indivíduo estiver com fome.
Fonte:
http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/supportivecare/nutrition/HealthProfessional/page4. Consultado em dezembro de 2014.




Controlar as náuseas e os vómitos, se presentes

As náuseas e os vómitos encontram-se entre os efeitos secundários mais importantes dos tratamentos contra o cancro*. Embora possam receitar-se medicamentos, é recomendado comer antes dos tratamentos contra o cancro (melhor que depois) e que sejam alimentos fáceis de digerir, em vez de refeições pesadas. Devem ser evitados alimentos que possam provocar náuseas, como alimentos gordurosos, com cheiro intenso, assim como evitar a permanência em locais onde faz muito calor e odores, como a cozinha.










Fonte:
http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/supportivecare/nausea/HealthProfessional/page6. Consultado em dezembro de 2014.
http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/supportivecare/nutrition/HealthProfessional/page4. Consultado em dezembro de 2014.
Reduzir o desconforto gastrointestinal

A diarreia é frequente no cancro*. Para prevenir a desidratação e os desequilíbrios minerais, deve beber suficientes líquidos, preferencialmente à temperatura ambiente, tomando pelo menos um copo de água ou outro líquido depois de cada evacuação; evite alimentos gordurosos, ricos em fibra (p.ex.: feijão) ou que provocam gases (p.ex.: ervilhas). Quanto às bebidas, deverá evitar também as que contêm cafeína.

*Os sintomas enumerados não são uma lista exaustiva; os sintomas podem variar entre os indivíduos.








http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/supportivecare/nutrition/HealthProfessional/page4. Consultado em dezembro de 2014.