Este conteúdo que está a tentar aceder é exclusivo
para profissionais de saúde


Você é um profissional de saúde?
Está a sair do conteúdo exclusivo para profissionais de saúde.
Este conteúdo que está a tentar aceder é exclusivo para profissionais de saúde.
Está a ser redirecionado.
Diabetes hcpDiabetes hcp

DIABETES

Risco nutricional em indivíduos com diabetes

Nos países ocidentais, a diabetes é uma patologia prevalente, especialmente a tipo 2 e mais frequentemente em idosos. Os idosos hospitalizados ou institucionalizados em residências geriátricas com diabetes apresentam uma maior comorbilidade e, também, um maior risco de desnutrição que os idosos não diabéticos. Para além das alterações próprias do envelhecimento agravados pela diabetes, a presença de polimedicação ou de complicações crónicas da diabetes favorece a presença de desnutrição.


A diabetes é uma patologia cada vez mais prevalente nos países ocidentais, especialmente a diabetes mellitus tipo 2 que aumenta a sua incidência em idosos. Os idosos com diabetes apresentam uma maior mortalidade, incapacidade funcional e comorbilidades como a hipertensão arterial, cardiopatia isquémica e doença cerebrovasculares, assim como outros síndromes geriátricos comuns, entre eles a depressão, a deficiência cognitiva, a incontinência urinária ou as quedas.


A desnutrição é, também, mais prevalente em idosos diabéticos, especialmente naqueles que estão hospitalizados ou institucionalizados. Os pacientes com diabetes apresentam até mais 40% de risco de desnutrição do que os não diabéticos1. Por um lado, ocorrem alterações fisiológicas relacionadas com o envelhecimento que se vão agravando com a diabetes, por outro lado, as alterações da própria diabetes e suas complicações, como as do metabolismo dos hidratos de carbono, lípidos e proteínas, a presença de enteropatia diabética, que produz apatia gástrica e atraso do esvaziamento gástrico ou a presença de nefropatia diabética, com o aparecimento de insuficiência renal crónica, contribuem para o aparecimento de desnutrição no idoso diabético.


Finalmente, a polimedicação, frequente nos idosos com diabetes, produz xerostomia, alterações do paladar e obstipação que também pode favorecer a desnutrição2,3,4.

1.     Álvarez-Hernández J, Planas Vila M, León-Sanz M, García de Lorenzo A, Celaya-Pérez S, García-Lorda P, et al. Prevalence and costs of malnutrition in hospitalized patients; the PREDyCES® Study. Nutr Hosp. 2012;27(4):1049-1059.

2.     Vega Piñero B. El paciente anciano con diabetes. Aspectos diferenciales de la nutrición en los pacientes ancianos con diabetes. Av Diabetol. 2010;26:307-13.

3.     Sanz París A, Riobó P, Álvarez D, Albero R. Insulinización en el paciente diabético en tratamiento con nutrición enteral y parenteral. Av. Diabetol. 2006;22(3):207-215.

4.     Rodriguez-Poncelas A, Garre-Olmo J, Franch-Nadal J, Diez-Espino J, Mundet-Tuduri X, Barrot-De la Puente J, et al. Prevalence of chronic kidney disease in patients with type 2 diabetes in Spain: PERCEDIME2 study. BMC Nephrol. 2013; 14: 46.